6 de out de 2011

GP Investiments / GP Investmentos

          A gestora de private equity GP Investimentos (ou GP Investments) foi fundada em 1993 pelo trio Jorge Paulo Lemann, Carlos Alberto Sicupira e Marcel Herrmann Telles. A companhia tem sede em Hamilton, Bermuda, e escritórios em São Paulo, Nova York e Zürich. Tem atuação em gestão de recursos, principalmente em fundos de private equity.
          Antonio Bonchristiano é membro do conselho da GP Investimentos. Ingressou na GP em 1993, tendo se tornado diretor em 1995. Antes de entrar na GP foi sócio da Johnston Associates, uma empresa de consultoria financeira com sede em Londres, e trabalhou para o Solomon Brothers em Londres e Nova York.
          Em 1997, a GP comprou a malha sul da Rede Ferroviária Federal, que viria a dar origem à América Latina Logística - ALL.
          Na década de 2000, a gestora teve passagem pelo setor elétrico como sócia da Companhia Energética do Maranhão (Cemar).
          Em 2011, a GP vendeu a rede de churrascarias Fogo de Chão ao fundo americano Thomas H. Lee Partners, por US$ 400 milhões.
          Em 2016, a GP compra o controle da BR Properties, na qual já tinha 12% de participação.
          Em maio de 2017, a GP volta ao mercado de alimentação ao adquirir a rede inglesa de fast food Leon.
          Na madrugada do dia 8 de março de 2018, a GP fechou a aquisição do grupo de restaurantes americano Bravo Brio. O grupo de comida italiana opera 112 lojas nos Estados Unidos, em três diferentes marcas - Bravo, Brio e Bon Vie. A GP vai pagar aproximadamente US$ 100 milhões pela totalidade das ações.
          Em maio de 2018, a GP Investments informou que sua subsidiária Spice Private Equity vai investir US$ 60 milhões na The Craftory, uma nova empresa de bens de consumo criada para apoiar marcas disruptivas. A Spice PE, em conjunto com outros investidores, garantirá à companhia aproximadamente US$ 300 milhões de capital permanente.
          Copresidida por Bonchristiano e Fersen Lambranho, a GP tem, considerando números de agosto de 2018, US$ 1,6 bilhão de negócios sob gestão. É nesse momento que a gestora vê na distribuidora de energia Light, da cidade do Rio de Janeiro, controlada pela mineira Cemig, uma oportunidade de voltar a investir no mercado nacional.
(Fonte: mzweb / revista Exame -08.11.2006 / jornal Valor - 08.03.2018 / 14.05.2018 / jornal OESP - 17.08.2018 - partes)






Valor - 08.03.2018

Nenhum comentário :